Os pés têm função essencial para a sustentação do organismo, contudo, como há diversas formas de pisadas, a maneira como as pessoas caminham podem trazer reflexos negativos à saúde ortopédica. Portanto, é importante conhecer como são seus passos para prevenir o desenvolvimento de dores crônicas e lesões, bem como, para melhorar o desempenho na prática de atividades físicas.

Conforme o ortopedista e especialista em cirurgia do pé e tornozelo, Dr. Rafael da Rocha Macedo da Clínica Prime Regen em São Paulo, os tipos de pisadas são determinados por alguns fatores, entre eles, características anatômicas, flexibilidade das articulações e o formato de joelhos e pés. Os modelos mais comuns, são:

Pronada – Representa a diminuição do arco do pé, conhecido popularmente como pé chato. Quando o passo da pessoa inicia com o lado interno do calcanhar e  termina próxima ao dedão. “Nestes casos, os calçados apresentam desgaste da parte interna. Alguns sintomas podem surgir, como dor na canela, e demandar avaliação médica para diferenciar se as pisadas são flexíveis ou rígidas e indicar o tratamento de correção. O uso de palmilhas e/ou calçados com elevação da borda interna podem ser opções para evitar possíveis lesões ou dores”, explica Macedo.

Supinada – A pisada será mais com a borda lateral do pé e pode desencadear desgaste do calçado na parte lateral, de maneira mais visível. Os especialistas consideram este tipo o que mais pode causar instabilidades e lesões de ligamentos e alguns tendões (fibulares). Em alguns casos, o uso de calçados ou palmilhas com elevação da borda lateral podem diminuir sintomas ou prevenir lesões.

Neutra – É considerada o tipo mais comum entre a população e acontece quando não demonstra desvios rotacionais nem para dentro, nem para fora. Devido ao seu bom arco plantar, proporciona a distribuição da carga corporal de maneira similar.

Para descobrir se há alguma disfunção na pisada, é necessário procurar a avaliação de um ortopedista, de preferência especializado em tornozelo e pé, pois ele saberá diagnosticar por meio de uma série de exames, tais como: físico, podoscopia, baropodometria e radiografia, quais os melhores tratamentos e sapatos para você. “Dessa forma, você conseguirá realizar suas atividades usando o calçado adequado para evitar os vícios de postura e desgastes em áreas como os tornozelos e joelhos”, finaliza o especialista.

Sobre o especialista: Dr. Rafael da Rocha Macedo é ortopedista e especialista em cirurgia do pé e tornozelo.  Atualmente, é sócio na Clínica Prime Regen e membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia do pé e tornozelo. Acesse as redes sociais: Facebook:clinicaprimeregen Instagram @clinica_primeregen  

Deixe um comentário

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá! Precisa de ajuda? Vamos conversar